Pesquisar

Livro: O Lírio Dourado
Autora: Richelle Mead
Páginas: 418
Editora: Seguinte
Classificação: 5/5

“Mas talvez a melhor parte de tudo foi que eu, Sydney Katherine Sage, culpada de analisar constantemente o mundo todo ao meu redor, parei de pensar. E foi maravilhoso.”

Sydney Sage adoraria ir para a faculdade como qualquer garota comum, mas ela faz parte do grupo dos alquimistas – os responsáveis por esconder a existência dos vampiros do resto da humanidade -, então isso não tem a menor chance de acontecer. Ainda mais depois que ela é convocada para uma missão superimportante.

A convivência com Jill, Eddie e principalmente Adrian leva Sydney a perceber que talvez os Moroi não sejam criaturas tão terríveis assim - e ela passa a questionar os dogmas que lhe foram ensinados desde a infância.

Tudo se torna ainda mais complicado quando Sydney descobre que talvez tenha a chave para evitar a transformação em Strigoi, vampiros malignos e imortais, mas esse poder mágico a assusta. Igualmente difícil é seu novo romance com Brayden, um cara bonito e inteligente que parece combinar com Sydney em todos os sentidos.

“Vi uma faísca nos olhos dele, o acender de uma dor antiga, e aquilo me incomodou. Aquele não era o jeito dele. Adrian sempre tinha um sorriso e uma gracinha na ponta da língua, mesmo que fossem irreverentes ou inapropriadas demais. Eu tinha me acostumado com aquilo. Até gostava.”

“O Lírio Dourado” é a continuação de “Laços de Sangue”. Serei sempre suspeita quanto aos livros nesse universo, porque sou muito apegada a esse mundo. Mas é puramente justificado. A autora criou personagens com suas próprias perspectivas sobre o mundo, e que, ao decorrer do livro, começam a se abrir a novos pensamentos, novas pessoas, novas verdades.

O desenrolar do romance não foi apressado em nenhum momento. Uma leitura calma onde ainda temos os personagens se desenvolvendo e novas figuras sendo introduzidas na história. Adrian e Sydney estão passando por uma fase difícil, cada um com seu próprio drama pessoal, e a presença do outro é a chave para que esses problemas desapareçam. O relacionamento dos dois é muito fofo e Adrian passa a agir mais como costumava ser nos livros de “Vampire Academy”. 

São dois personagens cheios de potencial. E Sydney... ela tem muito o que pensar desde que se mudou para a Califórnia. Ser alquimista não é uma vida que ela escolheu para si, são crenças com que foi obrigada a viver em toda sua vida, pensamentos que foram cravados na raiz de sua mente. E foi maravilhoso que a autora em nenhum momento saiu arrancando isso dela, porque não é algo que vá se transformar da noite pro dia.

“Esse “modo de vida”, esse “conjunto de crenças” que você está defendendo só usou você, e continua usando. Eles tratam você como uma peça de uma máquina em que você não pode pensar… e você é melhor do que isso”.

Diálogos gostosos entre os protagonistas. Foi um livro muito agradável, bem escrito e com uma história fascinante. Sem pressa, a autora envolve o leitor em seu mundo de fantasia, com personagens encantadores e a espera de novos reencontros.

Observação: É impossível terminar uma resenha dessa série sem fazer um breve comentário sobre a capa. A escolha de cor para essa edição foi um dourado que, apesar de não parecer quando vemos em fotos, é extremamente brilhante e deu um toque maravilhoso para o livro. Uma ótima escolha da editora. <3

~Talita B.

 


Deixe um comentário