Pesquisar


Livro:  Querida Sue
Autor:  Jessica Brockmole
Páginas: 256
Editora: Arqueiro
Classificação: 4/5 

"Bem, Sue, estou com medo. Pela primeira vez na vida, estou realmente com medo de uma coisa palpável. Senti-me ótimo na viagem de navio para cá, até ansioso pelo que me esperava na França. Mas o que me passou despercebido foi o que eu encontraria em Londres. Encontrei algo para o qual vale a pena voltar. Encontrei você, Sue."

Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. 

“Os sentimentos se intensificam e arrebentam em tempos de guerra.”

Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. 

"Uma parte de mim começou a tentar fugir no dia em que se iniciou esta outra guerra, que começou a urrar para sair agora, que você correu ao encontro do seu soldado. Eu devia ter lhe contado. Devia tê-la ensinado a proteger seu coração. Ensinado que uma carta nem sempre é apenas uma carta. As palavras na folha são capazes de inundar a alma. Ah, se você soubesse...”


A história gira em torno de dois casais. Entretanto, a trama de Elspeth e David levou um pouco mais de atenção da escritora. Afinal, são o princípio do desenrolar do livro. Elspeth é uma mulher de mente jovem, um pouco fechada, um pouco solitário, um pouco medrosa. Mas uma grande personalidade. David é um personagem sonhador, romântico e amante de poesias. Seu caráter instigante conseguiu atravessar os muros de Elspeth, e sua perda causou um buraco em sua vida.

Senti falta de Margaret durante a trama. Ela aparece, sim. Porém não é muito explorada pela autora. De algum modo as aparições ficam superficiais durante sua busca. Você perde o conhecimento da personagem que poderia passar despercebida como apenas uma narradora, com exceção de seu papel final na história.

Querida Sue é um livro delicado e gracioso, narrado em forma de cartas trocadas pelos personagens.  Romances em tempos de guerra costumam ser bastante adoráveis, e este não foi diferente. Um livro puro e muito romântico. Possui uma pequena carga emocional, nada excessivamente dramática, possui um maravilhoso ponto de equilíbrio. Para alguns, narrativa em cartas podem ser desgastantes, mas não concordo com isso. Acho adorável, principalmente no modo como a autora produziu essa história. As cartas são apaixonantemente fofas e sem pontos faltando, o que pode acontecer em livros do tipo. A obra é repleta de sentimentos e encantos, colocados de forma a parecer mais do que um livro por se mostrarem tão reais.

~Talita Becalli


Deixe um comentário