Pesquisar


 Livro: De Repente, Ana
Autora: Marina Carvalho
Páginas: 320
Editora: Novas Páginas
Classificação: 5/5

"Se em algum momento dei a impressão de que as coisas não seriam fáceis, digo agora que me enganei. Pelo jeito, estavam a um passo de serem terríveis."

Ana decidiu viver permanentemente na Krósvia, e tudo está às mil maravilhas. Além do namoro cada vez mais sério com Alexander, ela tem um emprego fixo na embaixada brasileira e dedica parte de seu tempo às meninas do Lar Irmã Celeste. Mesmo cumprindo tantos compromissos sociais como princesa, Ana nunca foi tão feliz. Sua vida, mesmo depois da grande revelação, acabou se acalmando e está conseguindo se dividir entre seus dois lados.

“Por que não liga para ele? – Alex sugeriu. – Não é vergonha nenhuma pra uma mulher de quase vinte e três anos sentir saudades do papai.”

Porém, de uma hora para outra, tudo muda. Seu pai, o rei Andrej Markov, sofre um grave acidente e vai parar na UTI. Não resta alternativa: Ana vai ter que assumir o trono da Krósvia e governar a nação. Pouco – ou quase nada – familiarizada com a função, ela vai precisar de ajuda não só para reger o seu país, mas também para manter perto de si aqueles que ama. Muita gente está interessada no seu fracasso.

“A verdade era que, de qualquer modo, eu estava frita. Não compreendia a política o suficiente para administrar uma nação. Como se na fosse o bastante, eu começava a sentir que a pouca liberdade que me sobrara acabaria reduzida a... nada.”

Achei um pouco curioso quando soube da continuação de “Simplesmente Ana”, porque não acreditava ser necessária uma continuação. Achava que não poderia render um livro, mas Marina conseguiu me surpreender. A verdade era que não havia percebido o quanto os personagens ainda precisavam crescer, esqueci o quanto Alex e Ana poderiam ser teimosos. Ainda era preciso que evoluíssem como um casal.

O ritmo do livro não é muito diferente do primeiro, mas sua apresentação mudou. Nessa leitura temos a repartição da história entre os pontos de vistas dos dois personagens: Alex e Ana. De início fiquei um pouco cética. No entanto, percebi que era necessário para o desenrolar da história. O bom humor continua presente, apesar do enredo um pouco mais sério. Não te fará rir incontáveis vezes como no primeiro, mas o suficiente para não deixar a leitura se prender muito em determinado tema e acabar se tornando pesado.

A autora tem uma escrita gostosa e envolvente e criou personagens adoráveis. Ana, que não é mais uma simples pessoa, finalmente começou a ter um papel como princesa ligado à política. Alex não sofreu grandes mudanças como Ana, a vida dele é um pouco mais simples, e teme o que acontecerá com a amada durante esse período em que se adapta a sua nova função: governar o país.

“Mais do que nunca, desejei que fôssemos um casal comum. Tudo seria bem mais simples no conforto do anonimato. Mas isso era querer demais.”


Os personagens se completam, ainda mais do que antes, e, mesmo que tenha sentido falta dos antigos diálogos entre os dois, não mudaria nada sobre isso. O primeiro livro já havia tido romance o suficiente para se repetir tudo outra vez. Marina mostrou que pode trazer algo novo. Não manteve o foco nos dois, mas gostaria de ter visto um pouco mais sobre Ana enfrentando os desafios que encontrou ao assumir as responsabilidades do pai, o que não aconteceria sem deixar o livro fatigante. 

Quanto à estética do livro: ele é dividido pelas visões de Alex e Ana, como já havia dito, mas o interessante é a mudança dos capítulos onde isso acontece. As páginas ligadas a Alex são de uma coloração diferente. A capa é bem graciosa, mas não sou muito fã de pessoas estampadas. Em geral, achei-a muito bonita. Porém, a personagem na capa não expressa muito a vida de Ana nesse livro, além de se afastar muito do estilo da primeira capa.

Linguagem simples e fácil de se ler, envolvente. Um belo romance com uma estrutura bem jovial. “De Repente, Ana” traz tudo de melhor do primeiro livro com a adição do cumprimento de um dever e a evolução de um compromisso: o do casal, como também da autora com seus personagens. Agora é só esperar pelo próximo livro que contará a história da filha da nossa querida princesa: Elena.

“Porque a Ana é assim: transparente, verdadeira e apaixonada – pela vida, por tudo. Não tem como não amar essa garota.”


~Talita Becalli 


Deixe um comentário