Pesquisar

Tag: Livros opostos

Essa foi uma tag que eu vi no “Leitora Incomum”, achei interessante e queria muito responder. Portanto,  decidi colocar por escrito.

 Perguntas:

1. Primeiro livro da sua coleção / Último comprado


O primeiro livro da minha coleção seria um de escola, mas decidi que seria melhor considerar os que não tivessem uma conotação de obrigação. Então, nesse caso, seria “Filhos Brilhantes; Alunos Fascinantes” do Augusto Cury.
O último que eu comprei... Bom, meu último livro, na verdade, são quatro livros. "Claros Sinais de Loucura"; "O Cavaleiro de Bronze"; "A Última Carta de Amor"; "Querida Sue". Quem tem o costuma de acompanhar o blog talvez se lembre que esse quatro estavam na minha wishlist *postada em agosto*, sendo assim... só me falta um daquela lista.

2. Um que você pagou barato / Um que pagou caro


Há. Um da minha última compra. "Vaclav & Lena". Era um dos que estavam em promoção e foi o que eu paguei menos até agora.
Um que paguei caro... São três livros que paguei o mesmo valor e este sendo o mais caro: “Tocada pelas Sombras”, “Promessa de Sangue” e “Laços de Espírito”; Todos da autora Richelle Mead, pertencentes a saga de “Vampire Academy”. E embora eu tenha gastado nos três o valor que hoje conseguiria comprar a coleção, não me arrependo do feito.


3. Com protagonista homem / Com protagonista mulher


Respectivamente, “A Garota que eu Quero”, do Markus Zusak, uma grande história de um garoto incompreendido por todos, incluindo a própria família; e “Ecos da Morte”, onde a protagonista é uma garota capaz de sentir os “ecos” deixados por assassinatos.


4. Leu bem rápido / Demorou pra ler


“O preço do sucesso” da Giselda Laporta Nicolelis. Mesmo sendo uma leitura obrigatória de escola, cito esse. Porque ele foi a minha primeira leitura de um dia.
O que mais demorei para ler foi “A Menina que Roubava Livros”. Acabei largando ele duas vezes e tendo que reler novamente, mas, por fim, depois de TRÊS ANOS de enrolação: Terminei.


5. Com capa bonita / Um com capa feia


Começar pela capa feia que é mais fácil: “A Turma da rua Quinze”.
Capa bonita... Confesso que sou de julgar o livro pela capa. Por isso a maioria dos livros na minha estante acabam tendo uma capa que eu considere bonita. Mas... tendo que escolher UMA, vou de “Tormenta”, da Lauren Kate. Particularmente amo TODAS as capas dessa saga, mas essa continua sendo a minha preferida.

6. Um livro brasileiro / Um livro internacional


Primeiro de literatura brasileira que me veio a mente foi: “Simplesmente Ana” da autora Marina Carvalho, uma dos livros adquiridos esse ano que foi realmente um achado. Digo um achado, pois adorei, mas ele foi INDICADO PELA DANIE *selo mágico de aprovação da Danie*. Um livro muito fofo. Que me fez rir quase que o tempo todo. E que sempre vou lembrar ao som de “In these arms”.
Internacional: “O beijo” da Danielle Steel. Adoro todos os livros dessa autora aos quais já li, mas do que tenho em minha estante, esse é o que mais gosto.

7. Um livro mais fino / Um mais grosso


O mais grosso, com certeza, é o me exemplar de “A Dança dos Dragões”. Quinto livro das “Crônicas de Gelo e Fogo”, do escritor George Martin. Todos os livros da saga, por sinal, são enormes.
O mais fino, por poucas páginas, é o fofinho do “Os Contos de Beedle, O Bardo” da J.K. Rolling. Um bebê de livro, mas com contos muito interessantes.

8. Um livro de ficção / Um de não ficção

Grande parte dos meus livros são de ficção. Em real, o único não ficção de minha estante seria um de matemática que ocupa a última prateleira. Sendo assim, escolho um livro que no momento ainda é desejado: “1889”. Um livro contando a história do Brasil do período de transição da monarquia para república.
Ficção escolhido: “A Hospedeira”; um livro do qual não falo muito, mesmo que tenha adorado. Até porque ainda estou chateada com a escritora. Não sou fã de Crepúsculo, não curto a história desse livro. Por isso, de começo, não tinha NENHUMA expectativa boa para o livro, mas ele me conquistou. Uma história incrível que MERECIA UMA CONTINUAÇÃO. </3

9. Um livro meloso / Um livro de ação


Os livros do George Martim, que citei mais em cima, são livros de ação *que não dá pra encaixar um pingo de romance nele ~quem leu/viu a série sabe*. Por isso é minha primeira opção para ação.
Agora... um livro meloso. Não gosto muito dessa palavra, já que dá uma impressão de “bobo”. Então vou usar uma palavra diferente: Fofo. E o primeiro que veio a mente foi “O Projeto Rosie” que é um belo exemplo de um livro fofo. Adorável, por assim dizer.


E é isso. Esse é o post de hoje. Espero que tenham gostado, e, como sempre, sintam-se à vontade para respondê-la também. ;)


~Talita Becalli


Deixe um comentário