Pesquisar


Leitores e leitoras, finalmente venho, por meio desta, falar da adaptação de "Se Eu Ficar", romance escrito, originalmente, por Gayle Forman e dirigido por R.J. Cutler.  
Confesso que entrei no cinema repleta de expectativas, uma vez que gostara bastante do livro, mesmo com suas falhas. No entanto, o filme, cujo enredo foi fiel à história contada por Forman, acabou criando um conflito de sensações em mim.


I. Enredo.
É verdade que o livro possuia um grande vazio quanto aos sentimentos. No entanto, interpretei-o como a relação de Mia para consigo mesma, com o quão distante ela se sentia de seu próprio corpo, mesmo estando, na maior parte do tempo, ao seu lado. O filme tentou consertar tal ponto, apesar de não ter se sucedido.
O vazio ainda está presente. No entanto, desta vez, não foi possível interpretá-lo como os sentimentos da personagem, e talvez este tenha sido o maior problema. 
A emoção que a história contém não foi repassada de forma digna ao público. Em diversos momentos rimos e nos afligimos, porém a tristeza da protagonista e dos demais personagens não foi transmitida. Não genuinamente.
De modo geral, o filme acrescentou algumas cenas à história, desenvolvendo conflitos e a relação entre Adam e Mia, o que foi um ponto positivo, já que o livro a apresenta de forma sucinta, concentrando-se no diálogo interno da protagonista.

II.  Atores. 
Apesar de acompanhar a carreira de Chloë, nunca realmente a vi dando o seu melhor a um personagem. Não até Mia, que foi fielmente representada.
Não conhecia grande parte dos demais atores, porém posso adiantar que o elenco é surpreendentemente bom! Acompanhar o modo como os personagens evoluíram e como as cenas contrastavam a todo o instante em que passado e presente se fundiam foi um choque (muito bem-vindo!)
O casal de protagonistas apresentou uma forte ligação a todo o instante. O modo como Jamie e Chloe atuaram foi um dos pontos fortes do filme, uma vez que repassou a proximidade e a intimidade existente na relação. 

III. Trilha Sonora.
Onde posso adquiri-la, por favor?
Se o enredo e a atuação não foram capazes de me fazer chorar ou mesmo sentir toda a tristeza, todo o desespero, a trilha sonora fez com que eu chorasse a todo o instante!
Durante a adaptação, a presença da música é constante. E talvez por isso não nos concentramos de verdade no significado de cada música, de cada acorde. No entanto, uma das primeiras coisas que fiz ao chegar em casa foi ouvi-la e aí, sim, as lágrimas caíram.
Mia, você não foi a única a se identificar com Beethoven. Isso, eu lhe garanto!

Ou seja...
"Se Eu Ficar" é um filme agradável. Seus dois pontos positivos foram a trilha sonora e os quotes. A todo o instante, nos deparamos com uma frase que acaba nos fazendo refletir mais do que a cena em si. 
A emoção (vulgo o desespero e a dor) foi uma grande deficiência, apesar da boa atuação. O enredo é o grande culpado a respeito dessa carência, uma vez que exige o máximo de qualquer um. Gayle escreveu algo cujo tema central é a angústia, em que o presente se passa em meio ao caos e à dor, e que a felicidade está contida em pequenos flashbacks. Capturar tal essência seria algo extremamente difícil, e raro.
Então, ao assisti-lo novamente ou pela primeira vez, agarre-se aos flashes e ao relacionamento. Não espere qualquer emoção maior por parte do enredo, para não correr o risco de se decepcionar. 

Nota: 3/5.
Daniele Almeida.


Deixe um comentário