Pesquisar


Livro: A Escolha
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Página: 352
Classificação: 4,5/5
“Havia um príncipe e quatro garotas, três das quais voltariam para casa com pouco mais que uma história interessante sobre como passaram o outono.”
Chegou a hora de escolher sua futura esposa, a mulher com quem Maxon passaria o resto de sua vida e que também será a futura rainha de Illea. Mas ele não é o único com um peso em seus pensamentos. As garotas, agora apenas quatro, estão vivendo o momento que mudará a vida de uma delas e não é mais a hora para suas discussões.

“A Escolha” assim como os outros da trilogia contêm esse elemento leve, que possibilitou lermos ele em apenas um dia sem ficar cansativo.

O que mais gostei no livro foi o crescimento pelo qual as meninas passaram durante esses últimos momentos. Especialmente Celeste e America, que deixou de ser aquela menina indecisa do segundo livro e começou a se mostrar mais confiante.

“-Vamos ser claros: ninguém concorda com você.

-Vamos ser claros: eu não ligo.”

~ Talita B.
 ------------------------------------ ♥ ----------------------------------
"A Escolha" é o volume final da trilogia escrita por Kiera, fazendo com que ideias sejam jogadas ao ventilador, respostas apareçam e reviravoltas inesperadas e torturantes aconteçam.
 A disputa pela coroa e pelo coração de Maxon está cada vez mais acirrada. Para complicar as coisas, agora Kriss está cada vez mais próxima de ser a Escolhida e, apesar de seus sentimentos conflitantes, America tem plena consciência de que perder Maxon faria com que seu coração se partisse. No entanto, as discussões são inevitáveis e ela se vê cada vez mais torturada por esse sentimento que denominamos amor. 
Afinal, quem ela realmente amava? Maxon ou Aspen?
E com quem ficaria? 
"Quero os feriados e os aniversários, as épocas corridas e os finais de semana preguiçosos. Quero manchas feitas por dedos sujos de creme de amendoim na minha mesa de trabalho. Quero piadas internas, brigas e todo o resto. Quero uma vida com você."
Para piorar, o mundo ao redor do castelo está um caos. Os rebeldes tornaram-se cada vez mais agressivos, atacando até mesmo as Castas. Isso faz com que novas propostas apareçam e cartas sejam postas na mesa. O Rei - cada vez mais perturbador - tem que tomar uma decisão, mas isso não pode interferir na Seleção. Caso contrário, seria necessário recomeçá-la.
"- Você vale a pena. Acho que não tem noção disso. Para mim, você vale a pena."
Eu esperava um livro impactante, mas isso não chega nem perto do nível de tensão a qual Kiera nos levou. "A Escolha" não foi o melhor livro que já li, porém certamente um de meus favoritos. Repleto de reviravoltas e momentos conflitantes, me senti envolvida pelo dilema de America cada vez mais, e sem que pudesse perceber, seus sentimentos se tornaram meus.
Maxon mostrou não lidar muito bem com a pressão, porém se manteve fiel ao seu caráter do início ao fim. Alguns deslizes fizeram com que eu quisesse esganá-lo - e à Kiera também - mas todos os pontos foram devidamente compensados com o modo com o qual lutou pelo coração de Meri.
Aspen também me surpreendeu nesse quesito com seu amadurecimento. Nos outros volumes - principalmente no segundo - vemos como ele lutava - de uma forma um tanto infantil, se me perdoam a palavra - para ficar com Meri. Neste, tudo o que ele deseja é o melhor para a mulher que ama.
E, falando em surpresas, Celeste foi uma grande e maravilhosa. Nesse volume final os personagens amadureceram muito, e o melhor de tudo foi que isso não causou uma grande divergência em sua personalidade. Kiera soube fazer essa transição de forma genial.
 "Eu queria ser um artista como você, para poder expressar o que você se tornou para mim. America, meu amor, você é a luz do sol filtrada pelas árvores. É o riso num momento de tristeza. É a brisa em um dia de verão. É a clareza quando só há o caos."
Bem escrito e com um toque irresistível de ação e romance, esse volume final não me fez torcer o nariz por sua monotonia. Foi cativante e elaborado, surpreendente e afável. Encerrei a leitura com um enorme sorriso no rosto, sabendo que, afinal, tudo valera a pena. 
"Isto não é um 'felizes para sempre'.
É muito mais que isso." 
~ Daniele A.


Deixe um comentário