Pesquisar


“Need for Speed”, inicialmente um jogo, famoso por corridas em veículos estilosos realizadas em locais incomuns,viajando por um cenário com uma pitada de ilegalidade. Com disputas clandestinas e fugas da polícia que são constantes acontecimentos nos jogos da série.

Depois do notório sucesso da franquia de filme “Velozes & Furiosos”, não seria difícil imaginar que fosse surgir uma adaptação para as telonas a qualquer momento.


Tobey Marshall herdou uma oficina mecânica do pai, onde, com sua equipe, modifica carros para torná-los o mais rápido possível. Além disso, Tobey é um excelente piloto que, por vezes, participa de rachas. Certo dia, Dino Brewster o procura para que ele termine um Mustang bastante famoso por seu mecânico ter sido um gênio das máquinas, que havia falecido antes de acabá-lo.

Mesmo os dois não se dando bem, Tobey aceita a proposta. Considerando não ter o luxo de recusá-la, com sua oficina tão perto de ser fechada. Depois do carro vendido, a rixa entre os dois é posta nos holofotes e uma corrida para provar quem é o melhor piloto acaba resultando na morte de Pete, um grande amigo de Tobey, ao qual sairá culpado.



Estamos acostumados a ver carros correndo em velocidades extremas e apostando para quem será o melhor. Mas a ajuda prestada por seus amigos é um dos fatores mais interessantes do filme. Na “De Leon”, Tobey irá tentar provar sua inocência e expor o verdadeiro culpado. Porém, seu caminho acaba sendo longo pela recompensa lançada para que ele não chegue.

Obviamente, todos tem a sua opinião. Algumas não tão boas para o filme. Mas a minha, pelo contrário, é bastante positiva. Tenho uma adoração pela série de filmes “Velozes e Furiosos”, com exceção do segundo filme ao qual odiei e continuo odiando, e queria muito conferir a esse novo lançamento. Claro que não irei comparar os dois, pois, embora a essência seja a mesma, a história é completamente diferente.

Percebi que muitos esperavam por um filme consistindo apenas as corridas. Sem os elementos um tanto quanto estereotipados de romance. Colocando mais elementos do jogo.

Para os que criticam o filme por causa de tais: Cresçam! Nenhum filme seria promovido se ele não tivesse algum indício de história. Não importa o quanto esperem que se pareça exatamente com o jogo, o cinema ainda consiste em meio capitalista e sua preocupação sempre será em agradar mais do que um público seleto. Por isso nunca poderia ser um enredo carregado com "apenas".


Deixe um comentário