Pesquisar

Em um futuro próximo, uma raça de extraterrestres hostis atacaram a Terra. O combate árduo foi vencido, graças ao comando de Mazer Rackham. Após o fim do conflito, o coronel Graff e as forças militares terrestres treinam talentosas crianças desde pequenos para prepará-las para um possível próximo ataque.

Ender Wiggin é mais um dos jovens selecionados para fazer parte da elite. Nessa escola de guerra é o aluno mais promissor, aprendendo com mais fulgor todas as técnicas de combate. Sua habilidades e intelecto permitem que ele lidere o grupo para o ataque.

Ender passa por treinamentos de combate. As armas apresentadas por eles apenas imobilizavam o oponente, já que o objetivo consistia na estratégia.
Devido seu alto desempenho, Ender ganhou sua própria equipe, e, eventualmente, foi promovido para tomas o comando da mais importante missão de toda a sua vida.
Simulações de batalhas foram realizadas para que aumentasse o trabalho em equipe e gradualmente conseguissem um plano perfeito para derrotar os alienígenas. Mas uma coisa foi escondida de todos eles.

A última batalha que promoveria Ender para comandante de batalha não era mais uma simulação. Sem saber da realidade, as tropas não foram poupadas.
Guerra é guerra.

Ender's Games ( Br: O jogo do exterminador; Pt: O jogo final )é baseado no livro homônimo de Orson Scott Card, lançado em 1985.
O filme é absurdamente fantástico. Os gráfico, efeitos são incríveis, além de ser uma bela história. Mas, como qualquer adaptação, sempre fica algo faltando. Não li o livro para ter a certeza disso, ouço dizerem algumas coisas sobre o livro e posso perceber, então, que o filme focou em maior parte no belicismo.

O estilo de vida dessas crianças, de serem levadas para o treinamento ainda jovens, é um exemplo de filosofia espartana. Assim como em Esparta, são treinados "bebês" até que, ainda que pequenos, aprendam a ser adultos.

O ponto mais interessante é o personagem principal. O choque do que havia acontecido foi muito grande para ele. Não acreditava que poderia ter sido enganado daquele jeito. Mazer e Graff acreditavam que não havia outro modo de colocá-lo em batalha. E era a mais pura verdade.

Ender nunca teria aniquilado a toda uma raça se soubesse do verdadeiro plano. Eles precisavam de um comandante que tivesse tamanha empatia para ser capaz de entender e pensar como os alienígenas. Alguém capaz de compreende-los a ponto de antecipar seus ataques. Alguém que, com sua compaixão pudesse conquistar seus subordinados.
Mas alguém assim não seria capaz de se transformar no assassino que eles precisavam. Só poderiam conseguir dele o que queriam, enquanto ainda fosse apenas um jogo.
"Quando eu compreender meu inimigo o suficiente para derrotá-lo então neste momento, também o amarei." A. E. Wiggin


2 Comentários

  1. Realmente o filme é muito bom em termos de efeitos visuais e sonoros, mas eu achei o filme muito lento...demorando para engrenar...parece que ficou alguma coisa faltando, sabe? Adoro o Harrison Ford e o Ben Kinsley, eles são mesmo demais! Mas achei o Ender meio "fraquinho"...pelo menos para mim não passou aquela credibilidade e tudo que achavam dele. Podia ter um pouco mais de alguma coisa que não sei definir muito bem o que é...kkkk
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei porque, mas sempre que vejo um filme que foi baseado em um livro acho que tem alguma coisa faltando. Mesmo não tendo lido ele. O filme como muitos exemplos nessa categoria se passa como algo muito superficial, por isso não tem como não achar que tem algo faltando.

      Excluir