Pesquisar

Livro: Traída
Autor: P.C. Cast e Kristin Cast
Páginas: 331
Editora: Novo Século
Classificação: 

O incidente causada por Aphrodite em "Marcada" causou uma renovação na liderança das filhas das trevas, que agora pertencia a Zoey Redbird (Redbird é o sobrenome escolhido por Z. após entrar para a morada que pertence a família de sua avó). 

Após a saída de Aphrodite das filhas das travas, Zoey começou a ver a garota como uma... pessoa normal. Não era mais uma "ameaça" como também começou a notar pequenas coisas que aconteciam.
"Isso me fez ver Aphrodite com olhos totalmente novos, o que não me deixou muito animada."
Zoey não acha que esteja, devidamente, iniciado um namoro com Erik, mesmo com alguns beijos, não havia tanta conexão por sua parte. Enquanto isso... Loren, poeta laureado e professor provisório, começa a demonstrar um interesse pela garota.

Não sabia mais dizer de quem ela gostava, ainda mais agora carimbada* com Heath, seu ex-namorado, que por acaso é humano. O ato de beber sangue, embora não comum em novatos, é extremamente prazeroso, e vital aos vampiros, o que trouxe mais confusão nos pensamentos da garota.
"Eu queria Heath.Eu desejava Erik.Estava intrigada com Loren."
O círculo ganhara mais um integrante Jack, ao mesmo tempo, os outros quatro (Damien, Shaunne, Erin e Stevie) descobriram, cada um, ter a afinidade com um elemento, o mesmo ao qual Zoey dera a vela correspondente em sua primeira invocação dos elementos.
Em um trágico ritual, a melhor amiga de Zoey, Stevie Rae, rejeita a transformação e morre.
"Os lábios vermelhos de Stevie Rae se abriram. Ela não tirou os olhos da vela verde, mas sussurrou:- Não estou mais com medo, Z."
Ainda triste pela morte da amiga e companheira de quarto, Z. recebe a notícia do desaparecimento de Heath e o que ela descobriria mudaria tudo. Stevie Rae, assim como outros novatos, ditos como mortos, estavam vivos, mas diferentes. Neferet os tornara daquele jeito, por quê não se sabia. Tirando Heath das garras dos antigos colegas correram pelo túnel em que se encontravam até se encontrar com os policias que o procuravam e a grande sacerdotisa.
"- Vocês não vão se lembrar de nada! - aquelas palavras escoaram em minha mente agoniada, e depois tudo virou só escuridão."
Temporariamente Zoey se esquecera de tudo o que havia acontecido por culpa de Neferet, mas com a ajuda dos elementos curou sua memória. Ficaria alerta para se ela tentasse mais alguma coisa. Agora sabia onde seu "inimigo" realmente se encontrava.

No segundo livro, a curiosidade sobre o que acontecerá continua. Mas comecei a desgostar um pouco da trama, devido, ainda, ao comportamento da Zoey que é... um tanto irritante. A conflituosidade por qual ela passa traz esse desgosto profundo pela história. 

Alguns pontos deixavam a vontade para que parecesse, enquanto as mudanças de time (como Aphrodite e Neferet) me mantiveram grudada a ele.

(* A carimbagem acontece quando um vampiro se alimenta, diretamente, do sangue de um humano OU vampiro com quem tenha um certo vínculo afetivo)


Obs.: A transformação que Zoey e os demais calouros sofreram é apenas o começo de uma mudança. Os humanos marcados com a lua crescente esperam até o dia em que se transformem vamps adultos, onde será preenchida a sua lua (como é visto acontecer com Zoey no primeiro livro ao ser tocada pela deusa). A rejeição da transformação em vamps pode ocorrer em qualquer momento, sem explicação.

~Talita Becalli 


Deixe um comentário