Pesquisar




Livro: Roubada
Autora: Lesley Pearse
Páginas: 368
Editora:  Novo conceito
Classificação: 

David passeava com o cachorro do vizinho quando encontrou uma garota na praia, que, no primeiro momento, acreditou estar morta. Lotte era esta garota. Quando despertou no hospital aquele dia, não sabia quem era. Não havia qualquer memória em sua mente, mesmo que ela soubesse comer devidamente, assim como coisas irrelevantes, naquele momento.

Dale e Scott eram amigos de Lotte, assim como o casal Adam e Simon. Mesmo a aparência da garota estando um pouco distorcida, foram capaz de identificá-la.  Quando não lhe havia memórias, a visita de seu salvador, David, lhe dava conforto, pois, com ele, podia conversar sem um sentimento de ter um vazio em sua conversa, já que aquele havia sido seu primeiro encontro com o homem.
Com o passar do tempo algumas de sua memória continuavam voltando. Algumas não muito boas. Incluindo os momentos de sua infância. A morte da irmã e o tratamento indiferente que seus pais passaram a lhe oferecer.

Lotte sempre aparentava uma garota metida, sendo que na verdade era doce, não o bastante para torná-la ingênua. Sua personalidade era encantador, e não haviam suspeitas claras do que havia acontecido com ela, até que um homem tentou matá-la, dentro do hospital.

Por sorte, naquele dia, David havia ido visitá-la. Sua primeira visita desde que levaram-na para lá. De certa forma houve um vinculo formado pelos dois depois do primeiro acontecido, e ela só tinha a lhe agradecer.
Após um tempo recebe alta do hospital, e achando-se segura vai para a casa de seus dois amigos. Simon era um tanto protetor, mas sabia o que fazia. E tudo deu certo, até Dale ter sido seguida até o apartamento, gerando o sequestro das duas.

Quando Lotte foi carregada até o cativeiro, todas suas memórias voltaram como num choque e ela sabia quem estava por trás de tudo. Mas tudo tende a acabar bem. Pois seus amigos e, principalmente, David não descansariam um segundo até que elas estivessem seguras.

"Roubada" é um livro rico em detalhes. O melhor modo de caracterizá-lo seria como intenso. Todos os acontecimentos envolvendo a jovem Lotte, remetem a um sofrimento intenso que não se justifica pela personalidade dócil dela.

Os amigos de Lotte, possuem, cada um, personalidades interessantes. Principalmente Dale. Que entra em contraste com doçura da outra, com o seu comportamento um tanto metido. Embora adorasse seu emprego, era um pouco difícil conviver com a gerente do spa em que trabalhava (que não ia muito com a cara dela), mas se tornava suportável se dar bem com todos.

Seu encontro com Lotte no ano anterior em um cruzeiro onde as duas trabalhavam e dividiam um quarto fez com que ela se tornasse uma pessoa melhor (até a mãe achava isso).

Assim como a amiga, Dale muda interiormente após ficar confinada com a amiga esperando um chance de escaparem da morte. E tudo isso encaminhou para a transformação de amizade em romance. Com Scott. Como a maioria dos personagens, é mais do que parece ser. Seu corpo definido ilude a quem pense não haver conteúdo.

 E tem David, e sua personalidade fofamente extrovertida. Um homem ... perfeito. Melhor definição que serei capaz de dar: Perfeito. Ele tem um jeito extremamente encantador, da mesma forma, seu humor também deixa essa forte impressão.

Embora eu quisesse que Lesley tivesse desenvolvido melhor o romance de Lotte e David no início, não tenho nada a reclamar. É compreensível essa atração imediata das duas partes e isso fez com que eu superasse essa brecha com a continuação da leitura.

O contexto é variado. E as lembranças de Lotte não deixam nenhum ponto vazio no enredo. Finalizando com os atos carinhosos e amorosos de David com Lotte, mesmo que ela desacredite um pouco em si mesma, devido todos os acontecimentos duros em sua vida que a transformaram de certa forma. Recobrando a consciência do seu ser. Nada disso impediu com que a atração ficasse maior e começasse a se transformar em desejo.


"- Eu pensei que os Ramsdens haviam roubado tudo o que eu tinha, mas agora você está roubando o meu coração. 
David sentou-se sobre os calcanhares ao lado do carro e riu. 
- Você roubou o meu no dia em que eu a encontrei na praia. - ele disse. - Mas os homens demoram a perceber essas coisas, e não dei pela falta dele durante alguns dias."

~Talita Becalli 


Deixe um comentário